sexta-feira, 12 de junho de 2015

PANCS : plantas alimentícias não-convencionais

As incríveis plantas alimentícias não-convencionais e super nutritivas existentes no Brasil que esquecemos de comer

Fonte: Camila Gomes Victorino
As incríveis plantas alimentícias não-convencionais e super nutritivas existentes no Brasil que esquecemos de comer
Apesar de não notarmos, nós costumamos comer sempre os mesmos alimentos, o que não é só ruim para nossa saúde, pois sempre ingerimos os mesmos nutrientes, como é ruim também para a agricultura familiar, para o bem-estar animal e para o envenenamento da terra. Mas como isso?
Na realidade, os alimentos que estamos acostumados a comer são alimentos exóticos, que vieram de outros climas e ambientes e que, portanto não estão adaptados plenamente às condições climáticas e do solo de nosso país. Isso faz com que demandem mais cuidados e muitas vezes agrotóxicos e adubos químicos. Atualmente com a agricultura orgânica, muitas técnicas naturais foram desenvolvidas para lidar com a plantação destes alimentos, porém o vício que temos em sempre comprar os mesmos produtos faz com que muitas plantas nativas do Brasil ou das diferentes regiões geográficas, faça com que muito alimento seja ignorado, mesmo quando ele está presente no seu quintal, na sua rua, brotando como ervas, vulgarmente chamadas de daninhas.
Estas plantas são tão bem-adaptadas ao clima que quase não precisam de cuidados, podendo ser plantadas em qualquer quintal ou apartamento. Sem necessidade de manejo, elas ainda aportam nutrientes que são raramente encontrados nos alimentos que costumamos comer, como proteínas, por exemplo, o que diminui ainda mais a necessidade por proteínas de vegetais exóticos, como soja, ou de animais na alimentação.
Uma dessas plantas é a Ora pro nobis, uma cactácea que apresenta folhas comestíveis, rica em proteína. Antigamente, ela era conhecida como “carne dos pobres”, pois era a única fonte de proteínas da população miserável de nosso país. Hoje ela está esquecida e é raro encontrar em feiras. Fácil de cultivar, ela – sendo arbustiva – pode render alimento para o ano todo, suas folhas podendo ser refogadas como couve, batidas para formar patês, junto com tofu, ou comidas na salada e batidas no suco verde. Além dela, existe ainda a taboa, aquela planta que as crianças costumam chamar de “arvore de salsicha.” A taboa, pasmem, é comestível, seus caules podendo ser colhidos e dele retirado o palmito para conservas. Além disso, sua inflorescência (a salsicha) contém grande quantidade de pólen que pode ser usado como cereal no café da manhã, misturado a massas de pães e bolos.
Pesto-de-ora-pro-nobis-Letícia-Massula-para-Cozinha-da-Matilde
Pesto de Ora Pro Nobis
Foto: brasilserv
alimentos não convencionais
Ora Pro Nobis in natura
Foto: mlstatic
Fora estas duas plantas não convencionais, há ainda uma variedade de vegetais que nem imaginamos ser comestíveis! A lista é gigantesca e vou falar aqui de mais três delas, deixando uma lista de outras plantas que encontrei em minha pesquisa para que vocês mesmos experimentem, caso as encontrem em locais seguros (neste caso locais limpos, fora do alcance de animais, de água suja e poluição).
Uma planta que está começando a ser comercializada e que é muito rica em vitaminas e minerais é a Taioba. A Taioba é uma planta que apresenta longas folhas verdes ricas em ferro e que podem ser refogada como couve. Além das folhas, a taioba forma tubérculos, que podem ser comidos cozidos, como batata ou inhame. Outra planta não convencional é o caruru. O caruru é aquela plantinha rasteira, sempre conhecida como erva daninha e que produz uma espiga com cheiro de tempero. O caruru, para quem não sabe, é parente da quinua e suas sementinhas podem ser comidas cozidas ou como cereal matinal. Por fim, eu cito uma última planta muito interessante que é aBeldroega. A beldroega é uma rasteira que produz flores rosas pequeninas com sementinhas cor de rosa ou amarelas. Suas folhas podem ser comidas refogadas ou em saladas, sendo seu cultivo praticamente espontâneo, pois ela se adapta facilmente a qualquer tipo de solo.
cc08_beira-mar_010
Bolinho de taioba
Foto: Beira mar
Eu imagino que para alguns, foi uma grande surpresa constatar que algumas plantas que brotam em seu quintal ou mesmo em sua rua podem ser utilizadas como alimento. Disponibilizarei uma lista abaixo com outras plantas e seus nomes científicos e um vídeo sobre plantas alimentícias não convencionais. Além delas, eu imagino que com a tamanha biodiversidade brasileira devam existir várias outras que podem substituir plantas exóticas que precisam de grandes insumos, quantidade de água e cuidados.
Nossa alimentação é centrada naquilo que aprendemos! Desta maneira, nós comemos arroz, feijão e carne, mais alface porque nossos pais nos ensinaram assim e nunca pensamos que poderia ser diferente!
size_810_16_9_arroz-e-feijao
Foto: Abril
Está na hora de rever estes conceitos e abrir o paladar para outras fontes de minerais, carboidratos, vitaminas, lipídeos e proteínas! A ânsia por alguns alimentos é muitas vezes mais imposição cultural do que verdadeira necessidade nutricional! Já pensou nisso? Assim como eu falo sempre sobre o vegetarianismo e sobre a possibilidade de se tornar vegano, sem que adoeçamos, aqui eu exponho como a natureza pode nos beneficiar, em qualquer região, com alimentos ricos, sem que para isso tenhamos que destruir a terra ou a vida dos animais.
Espero que a partir de agora sua vida alimentar fique ainda mais rica! Eu já experimentei várias destas plantas e pode apostar que são uma delícia quando bem preparadas!
LISTA DE PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO-CONVENCIONAIS
Abóbora do mato (Melotria pendula) – somente os frutos verdes devem ser comidos, em saladas, por exemplo;
Melotria_cucumis_
Foto: blogspot
Aroeira pimenteira (Schinus terebinthifolia) – os frutos são a conhecida pimenta rosa;
Schinus terebinthifolius (3)
Foto: Google user
Beldroega pequena (Portulaca oleracea) – folhas para sucos, sopas e saladas. É também medicinal;
beldroega de flor
Foto: blogspot
Beldroega grande (Talinum paniculatum) – como a beldroega pequena suas folhas são usadas em saladas, sopas e sucos;
Screen Shot 2014-11-17 at 22.50.40
Foto: Come-se
Bertalha coração (Anredera cordifolia) – suas folhas podem ser refogadas ou usadas em saladas. Seus tubérculos aéreos são usados cozidos como batata;
Anredera cordifolia (12)
Foto: Google user
Capuchinha (Tropeoalum majus) – suas flores são usadas em salada e suas folhas em saladas e sucos verdes;
Siá Mariana Salada Flor do cerrado
Foto: Culturamix
Caruru (Amaranthus viridis L.) -parente da quinua – usam-se as folhas para saladas, refogados, recheios e patês; as sementes são usadas cozidas ou torradas, em recheios e como cereal;
Amaranthus spinosus
Foto: Luirig.altervista
Dente de leão (Taraxacum officinale) – é uma planta medicinal estimulante, digestiva e depurativa. Suas folhas podem ser comidas em saladas ou batidas em sucos verdes;
b70d0bdd04e6d6bfbac10c680d548b60
Foto: tuasaude
Hibiscus (Hibuscis sp.) – Apesar da origem africana, adaptou-se ao clima do país. De suas flores é feito o chá ou suco muito nutritivo. Suas sementes são ricas em proteínas e dela feita uma farinha que pode ser adicionada ao feijão. Seus frutos também são comestíveis;
7045166647_ddbf5e0e3c
Foto: Flickr user
Jaracatiá / mamoeiro do mato (Jaracatiá spinosa)– parente do mamoeiro. Seus frutos fazem geleia e são muito apreciados quando maduros;
JARACATIA-1
Foto: Fazenda Citra
Lingua de vaca/ azedinha (Rumex acetosa) – folhas apreciadas na salada. Não devem ser comidas em excesso pela presença de ácido oxálico;
P1080623
Foto: Blogspot
Mamãozinho / Jaracatiá (Vasconcella quercifolia) – seus frutos maduros são comestíveis e do seu caule é feito o doce ralado de jaracatiá;
jaracati_na_rvore_2
Foto: Blogspot
Ora pro nobis (Pereskia aculeata) – suas folhas são usadas refogadas, em sucos verdes, patês e saladas. Suas folhas secas podem ser usadas como orégano ou como farinha. Deve-se tomar cuidado ao colher, pois possui espinhos. São ricas em ferro, proteínas e cálcio;
Batatinhas-assadas-com-pesto-de-ora-pro-nobis-Letícia-Massula-para-Cozinha-da-Matilde
Foto: brasilserv
Pepininho do mato (Melothria cucumis)- produz pepinos pequenos que podem ser comidos em saladas e usados para fazer picles;
Mini pepinos
Foto: De verde casa
Pêssego do mato (Eugenia myrciantes) – fruto;
pessego do mato
Foto: Sérgio Bordignon
Picão / carapixo (Bidens pilosa) – mais uma planta cujas folhas podem ser usadas em saladas;
6130852676_9b4073dfdc_z
Foto: Flickr

Serralha (Sonchus oleraceus) – usam-se as folhas como salada e refogadas; rica em vitamina A, D e E é similar ao espinafre;
107574865.J9X1nhWG.DSC01377
Foto: pbase
Seralhinha / flor de pincel (Emilia fosbergii Nicolson) – folhas podem ser usadas em saladas e sucos verdes. Seu chá é útil contra infecções urinárias. Suas flores também são comestíveis e usadas em risotos, saladas, sopas etc;
Emilia fosbergii (4)
Foto: Fradeonline
Taboa (Typha domingensis)- os brotos e centro do caule podem ser usados como palmito; das inflorescências tira-se o pólen que pode ser usado como cereal e em massas de pães e bolos; pode-se comê-lo cru. Por fim, a raiz pode ser cozida e tem o mesmo teor de proteína do milho e batata. NT: não colha taboas por aí, pois ela absorve metais pesados da água. Certifique-se que a água próxima das taboas é potável;
taboa
Foto: Fradeonline
Taioba (Xanthosoma sagitifolium) – planta de sub-bosque, gosta de sombra e se adapta bem a sistemas agroflorestais. Suas folhas podem ser comidas refogadas; seus tubérculos podem ser usados como mandioca ou inhame;
Taioba
Foto: Jardim das ideias
2taioba-cursos-cpt
Caneloni de taioba
Foto: cpt
Trançagem / tanchagem (Plantago major) – usam-se as folhas como salada e refogadas. É também usada como planta medicinal, como infusão no caso de ardor no estômago e cataplasma para feridas na pele, acnes e picadas de inseto;
DSC04041
Foto: Blogspot
Urtiga / Cansanção (Urtiga dioica) – usam-se as folhas somente refogadas, jamais cruas.
urtiga
Foto: Abecedário vegetal


Água nosso principal combustível e uma enorme e rica fonte de informações: aqui !!!!

Você já parou para pensar como não damos a devida importância para a água que consumimos, este “combustível” maravilhoso que nos permite a vida em nosso corpo, que é constituído em sua maior parte, por esse elemento? Quando abastecemos num posto de combustível e o carro começa a engasgar e desconfiamos da procedência/qualidade do combustível, chegamos a dizer que nunca mais abasteceremos naquele posto, para que o combustível ruim não possa prejudicar o veículo. Então, deveríamos ter a mesma preocupação em relação a água, uma vez que, em média, somos constituído por 70% de água; do que adianta tratar das inúmeras doenças que possamos vir a ter, se não estamos tratando da “água do aquário”?
Você já parou para pensar como não damos a devida importância para a água que consumimos, este “combustível” maravilhoso que nos permite a vida em nosso corpo, que é constituído em sua maior parte, por esse elemento? Quando abastecemos num posto de combustível e o carro começa a engasgar e desconfiamos da procedência/qualidade do combustível, chegamos a dizer que nunca mais abasteceremos naquele posto, para que o combustível ruim não possa prejudicar o veículo. Então, deveríamos ter a mesma preocupação em relação a água, uma vez que, em média, somos constituído por 70% de água; do que adianta tratar das inúmeras doenças que possamos vir a ter, se não estamos tratando da “água do aquário”?
É lógico, o “peixe” continua ficando doente por qualquer coisa. Por isso convido você leitor, a ter paciência e fazer uma leitura cautelosa nessa publicação, dando uma atenção especial; e qualquer dúvida, faça suas próprias pesquisas, consultando outras fontes. Sua saúde só tem a ganhar a partir do momento que você cuidar e se “preocupar” (num bom sentido) com a água que vier a beber.
Você já ouviu falar que existe água que desidrata ao invés de hidratar? Você já deve ter ouvido falar que a água é um solvente universal, ou regulador térmico, porém já ouviu falar de água ácida e água alcalina, e outras propriedades da água, como condutibilidade e tensão superficial? Você já ouviu falar que existe água oxidante e água antioxidante?
Para classificarmos uma água como “Super água” benéfica para nosso “aquário humano”, com propriedades curativas, precisamos considerar 5 itens: Pureza, nível do pH, Condutibilidade, Fator Redox (se é antioxidante ou oxidante) e Tensão superficial.
Ao final de cada item apresentamos uma solução possível, para que seja feito a “correção” da água, tornando melhor para o consumo.
1-Vamos Começar Falando Sobre A Pureza Da Água
Nesse primeiro item vamos ser bem concisos, uma vez que dispensa maiores comentários.
Quando remetemos a ideia de alguma coisa “pura”, no mesmo momento, correlacionamos com algo que não esteja vinculado/misturado com outras coisas. A partir daí, remetemo-nos ao que aprendemos no ensino básico, que a água ideal a ser tomada (potável) é incolor, insípida (sem gosto) e inodora (sem cheiro). Embora saibamos, que uma água ideal para consumo, não contém somente a molécula da água (H2O), pois nela possui outros nutrientes como: potássio, sódio, ferro, magnésio, etc; ideais para torná-la alcalina e aumentar a sua condutibilidade (que veremos mais abaixo em outro tópico). Portanto, não é aconselhável tomar diariamente água obtida por meio do filtro de osmose reversa, onde este filtro retira todos os sais minerais da água, o que pode ocasionar uma futura osteoporose e reduzir o seu potencial benéfico para o corpo humano.
SOLUÇÃO: Já foi comprovado mundialmente, que o filtro de cerâmica brasileiro é um dos mais eficazes meios de filtragem da água e por meio dele resolvemos um dos aspectos para ter uma água pura para ser tomada, pois ele elimina impurezas da água (além de aumentar o pH, abordaremos isso no próximo item), porém podemos potencializar essa filtragem por meio de uma vela melhor elaborada, com tripla filtragem, que além do material cerâmico, contém carvão ativado (que elimina odores) e prata coloidal (que elimina bactérias), além de reduzir o nível de cloro, outra propriedade dessa vela é que o material cerâmico tem um poro bem menor “microporoso”, com poros de 0,5 micra, que  retém partículas sólidas e impurezas mil vezes menor que um grão de areia (podendo ser até 10 vezes mais eficientes do que as velas tradicionais que só possuem a cerâmica). Cuidado: existem marcas vendendo sistemas de filtros por decantação que utilizam velas caríssimas que eles chamam de “refil”, que fazem a mesma coisa que a vela sugerida acima (tripla filtragem + o filtro de cerâmica brasileiro). Investimento: Aproximadamente de R$100 a R$150 reais num filtro de barro (que vai durar muitos anos) e trocar de 3 a 6 meses (dependendo da qualidade de sua água) a vela do filtro. Como dissemos, sugerimos não utilizar a vela comum, comprar uma vela com tripla filtragem, conforme explicamos, que custa em média R$15,00. 


O único problema é que praticamente nenhum sistema de filtragem remove o flúor da água (exceto o de osmose reversa, porém já explicamos que ele “mata” a água, fala do Dr. Lair Ribeiro, “se você tem um filtro de osmose reversa, dê a seu inimigo a partir de hoje”), já os demais filtros por decantação não removem o flúor, que é um lixo tóxico, que nos fizeram crer que auxiliava na prevenção de cáries. 
2-Que Tal Falarmos Agora Sobre O PH? E Um Pouco Sobre 
3-Condutibilidade
O pH ou potencial de hidrogênio iônico, é o símbolo criado em 1909 pelo químico dinamarquês S.P.L. Sorensen para indicar o grau de acidez ou alcalinidade de uma substância. O “p” vem de potenz em alemão e significa poder de concentração e o “H” é para o íon de hidrogênio (H+). O valor de pH de uma solução pode ser estimado conhecendo-se a concentração em íons H+, assim a escala de medição varia de 0 a 14, tendo o 7 como valor neutro, o 0 como acidez máxima, e o 14 como alcalinidade máxima.
0 1 2 3 4 5 6 ……….. 7 ……….. 8  9 10 11 12 13 14
Ácido……………..Neutro…………. Alcalino
A escala do pH é logarítmica, assim cada passo é dez vezes mais que o anterior. Em outras palavras, um pH de 4.0 é 10 vezes mais ácido que 5.0 e 100 vezes mais ácido que 6.0 e 1.000 vezes mais ácido que 7.0.
IMPORTANTE – Uma água alcalina com pH logo acima de 7.0 é 1.000 vezes mais alcalina que a água da torneira que normalmente é 4.
A água (H2O) é ionizada nos íons hidrogênio (H+) e hidroxila (OH-). Quando estes íons estão em proporções iguais, o pH é neutro 7,0. Quando há mais íons de H+ que íons OH- então é dito que a água é “ácida”. Se os íons OH- excedem em número os íons de H+ então é dito que a água é “alcalina”.
Alguns valores comuns de pH:
Ácido de bateria: Menos de 1.0
Suco gástrico: 2.0
Coca-Cola (refrigerante): 2.5
Vinagre: 2.9
Chuva ácida: Menos de 5.6
Saliva de pacientes com câncer (cancro): 4.5-5.7
Água natural, pura: 7.0
Água do mar: 8.0
Cloro: 12.5
Resumindo o assunto pH
A água é o melhor solvente que existe, sendo que o pH é determinado através de uma escala universal graduada de 0 a 14, sendo 7 o ponto correspondente a neutralidade. Portanto, quando a água tem um pH inferior a 7, diz-se que é ácida, se é igual a 7, diz-se que é neutra e se é superior a 7, diz-se que a água é alcalina. Portanto, é importante saber que em condições de saúde o líquido intracelular e extracelular apresentam um pH que oscila entre 7,35 a 7,45, ou seja, levemente alcalino. Nosso organismo tende a alcalinidade, sendo que água saudável deve ser água alcalina.
Hiperacidez corporal – a causa de muitas doenças:
O pH do sangue humano está inteiramente relacionado à saúde. Uma pequena variação do pH reduz o sistema imunológico, dando oportunidade para que seres vivos prejudiciais à saúde, como vírus, bactérias, fungos que vivem em meios ácidos, com pH abaixo de 7,0, proliferem e encontrem ambiente propício para viver.
A maior parte das pessoas acometidas de câncer apresenta um pH no tecido de 4,5. Esse ambiente é pobre em oxigênio e muito propício para instalação de câncer. Dr. Otto Warburg da Alemanha duas vezes laureado, ganhou o seu primeiro prêmio Nobel pela descoberta de que o câncer se desenvolve em ambiente de menor quantidade de oxigênio e esse ambiente é criado quando o pH é baixo.
Quando o pH do sangue está baixo, as gorduras são aderidas às paredes das artérias causando doenças do coração. As doenças causadas pela tireoide é resultado da deficiência do mineral iodo e esse elemento só é absorvido pelo organismo quando está com o pH ideal. Por isso, na sociedade atual é freqüente encontrar pessoas com doenças da tireoide, porque atualmente são valorizados os alimentos que proporcionam ao organismo um ambiente de pH baixo.
Em resumo, estando o pH do sangue abaixo da normalidade 7,4, o organismo está propenso a todos os tipos de doenças do coração, fadiga crônica, alergias além de doenças causadas por vírus, bactérias e fungos. Uma maneira de manter o pH saudável é evitar (ou cortar abolir) alimentos com pH baixo, como café (em torno de 4,0), refrigerante (em torno de 2,0), cerveja (varia de 2,5 a 4,2 dependendo da marca). Como o pH é em escala logarítmica, já abordado acima, o refrigerante é 100 mil vezes mais ácido que o sangue, ao tomar um copo de refrigerante, é necessário tomar outros 32 copos de uma boa água com pH pelo menos maior que 7,4, para que o corpo volte em sua normalidade, do contrário, o corpo dará um jeito de equilibrar o pH, tirando minerais dos ossos e do interior das células. Se um pai/mãe gostar realmente do filho, nunca mais dará refrigerante para ele, a partir do momento que tiver conhecimento dessa informação.
O que é PH da Água
O nosso corpo tenta a todo custo manter o pH sanguíneo com o valor de 7,4, extraindo minerais do organismo para manter o pH alcalino quando não é suprido pelos alimentos. O consumo indiscriminado de açúcar produz pH ácido.
A água para ser de boa qualidade e boa para a saúde tem de ter um pH maior que 7,5 (a Organização Mundial da saúde recomenda que o pH seja no máximo 9,5).
Um pH levemente alcalino do sangue aumenta a oxigenação das células e a imunidade, uma vez que, vírus e bactérias precisam de um meio ácido para sobreviver. Assim como o fogo precisa de oxigênio para existir, os vírus e bactérias necessitam de um meio ácido para se manterem vivos.
Conclusão: Quando o pH do sangue está abaixo do normal, o organismo está propenso a qualquer tipo de doença. A sua água precisa ter o sabor da saúde! Fonte: Geólogo Sólon Barrozo Barreto.
O QUE DIZEM OUTROS ESPECIALISTAS:
O organismo tem que preservar a alcalinidade do sangue para poder manter-se saudável. O pH de uma pessoa saudável está na faixa de 7.1 a 7.5, portanto alcalino. A hiperacidez precede e provoca a doença. O corpo sucumbe à desordem física quando seus próprios dejetos tóxicos ácidos se acumulam até o ponto onde a resistência orgânica é vencida e o corpo torna-se susceptível às doenças degenerativas. “Todas as doenças são meramente o ponto-final de uma progressiva saturação ácida”.
Sintomas da hiperacidez: fadiga, alterações da concentração, dores musculares, articulares e neurites, cálculos renais e biliares, assim como acidez digestiva. São em geral sinais de desgaste e da descompensação corporal.
Muitas vezes as pessoas não entendem por que alguns tratamentos não dão resultados? A causa básica fundamental é porque há excessiva acidez corporal, gerando diminuição na resposta vital orgânica. A utilização da água photon magnética produz mudanças significativas na hiperacidez corporal, graças a sua ação alcalinizante, proporcionando também aumento na capacidade de absorção celular de água na ordem de seis vezes.
O pH 6.5 é levemente ácido e o pH 4,5 é fortemente ácido. A maioria das crianças tem um pH 7,5. Mais da metade dos adultos tem um pH 6,5 ou mais baixo, refletindo o acúmulo de dejetos tóxicos ácidos, excessiva ingestão de água ácida, deficiência de minerais alcalinos (cálcio), decorrentes do envelhecimento e do estilo de vida sem qualidade.
Nas pessoas saudáveis, o pH do sangue é 7,4, o pH do fluido espinhal é 7,4 e o pH da saliva é 7,4. Pacientes com câncer apresentam um pH 4,5, especialmente quando em estado terminal. O câncer não sobrevive em um ambiente alcalino. As células de câncer são ácidas enquanto as células saudáveis são alcalinas.
Todas as doenças degenerativas estão associadas com a hiperacidez corporal. Todas as formas de artrite estão associadas com o excesso de acidez. A hiperacidez compromete a calcificação de dentes e ossos.
Segundo os pesquisadores japoneses, dejetos tóxicos ácidos que se compactam, convertem-se em colesterol, ácidos graxos, ácido úrico, pedras nos rins, uratos, fosfatos, sulfatos, produzindo um grande número de enfermidades. Com isso, geram obstrução no sistema circulatório, provocando circulação sanguínea deficiente, incapaz de realizar a suficiente perfusão sanguínea nos diversos órgãos.
Mary C. Hogle afirma em seu livro: Comidas que alcalinizam e curam: Quando o corpo chega aos limites de tolerância em termos de hiperacidez tóxica, tanto o sistema digestivo como os outros tecidos iniciam um processo de limpeza que pode assumir diversas formas: diarreia, dores de cabeça, gripes, erupções cutâneas, abscessos, furúnculos, reumatismo, inflamações de diversos órgãos, catarata, febre e outros sintomas identificados em sua grande maioria com doenças agudas. Porém isto tem uma causa única: A HIPERACIDEZ”. As vitaminas, minerais e oligoelementos ingeridos não são úteis se há um excesso de resíduos ácidos no corpo.
O equilíbrio ácido-básico é fundamental para a saúde. A hiperacidez é provocada principalmente pela alimentação incorreta e consumo de água ácida, estresse emocional, sobrecarga tóxica, e/ou reações imunológicas ou qualquer processo que prive as células de oxigênio e outros nutrientes. O corpo tenta compensar a hiperacidez utilizando minerais alcalinos, fazendo que haja diminuição destes minerais, gerando mais hiperacidez celular.
Pois bem, segundo os especialistas japoneses, a água alcalina assume um papel fundamental na neutralização da hiperacidez, tendo ainda a vantagem sobre outros métodos naturais, pois não gera nenhum tipo de acidificação, que ocorre em diversas dietas.
A água ácida possui um número maior de íons de hidrogênio (H+) que de hidróxido (OH-), ao contrário, a água alcalina tem mais íons de hidróxido do que de hidrogênio, sendo que possui mais átomos de oxigênio. A água alcalina é conhecida como a água rica em oxigênio, elemento fundamental para todas as reações celulares.
Os alimentos industrializados apresentam-se extremamente ácidos. Alimentos ácidos geram vícios, levando a comer em excesso e a problemas de obesidade. Alimento natural integral possui um pH balanceado. Na maioria dos casos as pessoas comem compulsivamente porque tem sede, porque suas células estão desidratadas, mas por um equívoco, a pessoa interpreta como fome, e fica claro que comer não pode saciar a sede, pelo contrário, gera mais necessidade de água.
As pessoas precisam de alimento vivo, integral e alcalino. Precisamos comer alimentos vivos e integrais para reverter os efeitos de muitos anos de alimentação inadequada. E infelizmente a maioria das pessoas não possui a determinação para suplantar seus maus hábitos alimentares.
Os profissionais de saúde reconhecem a necessidade de reduzir o acúmulo ácido do corpo. E neste caso a água alcalina funciona melhor que a dieta porque ESSA ÁGUA NÃO ADICIONA MAIS RESÍDUOS ÁCIDOS.
Todas as dietas especiais e os exercícios físicos criam, também, mais resíduos ácidos. Água alcalina com qualquer dieta e/ou regime de exercícios funciona muito bem. Como é muito difícil mudar hábitos alimentares, beber água Kinotada alcalina é uma solução fácil para nosso modo de vida moderno. Com a diminuição da hiperacidez irá sentir-se melhor, mais jovem e com maior rendimento.
Se o pH do seu corpo não estiver alcalino, você não conseguirá assimilar efetivamente as vitaminas, minerais e suplementos alimentares. O pH do seu corpo afeta tudo. O corpo tem que ter um pH equilibrado como a maioria dos seres vivos na terra ou não funcionará corretamente.
Condutibilidade
São necessários minerais para dar condutibilidade. Se a pessoa fica mais lenta, mais devagar, raciocínio lento, pode haver uma deficiência de minerais. Raciocínio é um mecanismo eletroquímico que precisa ser conduzido. O ideal é tomar uma água que tem >100ppm (partícula por milhão) de mineral, seja cálcio, magnésio, sódio, potássio. São elementos diluídos que vão funcionar como íons para fazer a condutividade. Por isso que na Solução da correção da pureza da água, foi sugerido que acrescentássemos uma pequena colher sobremesa de Sal do Himalaia ou Flor do Sal na água, além de Cloreto de Magnésio e Bicarbonato de Sódio, justamente para aumentar essas quantidades de partículas e ajudar ainda mais a alcalinizar a água, e como consequência, elevar seu potencial de condutibilidade.
Dez benefícios da água alcalina
1 – Previne e auxilia no tratamento de problemas de tireoide: estudos confirmam que o consumo excessivo de flúor e cloro prejudica a absorção de iodo e pode interferir negativamente na saúde da tiroide, contribuindo para o hipotireoidismo, uma alteração glandular que facilita o ganho de gordura corporal, baixa a imunidade, produz descontrole na temperatura corporal.
2 – Previne o câncer: a reação química do cloro com ácidos húmicos e fúlvicos, derivados da decomposição de matéria orgânica proveniente das margens dos rios, resultam nos Trihalometanos ou THM’s, resíduos considerados cancerígenos. Estudos comprovam que o consumo diário de 2 litros de água com THM durante 40 anos aumenta a probabilidade de se contrair câncer de bexiga em 70%. Após 60 anos, em 100%. A alcalinização da água reduz a quantidade dos THM´s, e assim, auxiliam na prevenção do câncer.
3 – Previne o ressecamento dos cabelos: pois reduz o contato com o cloro
4 – Auxilia no tratamento da pele: funciona como um adstringente, evitando o ressecamento e proporcionando uma limpeza mais profunda.
5 – Previne e auxilia no tratamento da osteoporose: a acidose é uma das causas de osteoporose. Quando tomamos líquidos muito ácidos (refrigerantes e águas com ph ácido, por exemplo) cria-se uma situação metabólica no nosso corpo que estimula a perda óssea. Assim, ao ingerirmos uma água alcalina estamos reduzindo a retirada de cálcio dos nossos ossos.
6 – Tem um poder de hidratação celular muito superior, pois possui minerais adequados à nutrição celular e isso facilita a sua condutibilidade.
7 – É um potente desintoxicante corporal: uma vez que os íons presentes na água sequestram as toxinas presentes em nosso corpo.
8 – Melhora a capacidade de reflexo motor em atletas: por produzir uma melhor condutibilidade de impulsos nervoso e maior poder de oxigenação celular.
9 – Melhora a disposição: pela produção energética que a ionização produz.
10 – Melhora a capacidade de memória : pela desintoxicação por metais pesados e pelo seu maior poder de oxigenação celular.
A ÁGUA ALCALINA E O CÂNCER:
Inclusive em enfermidades graves como o câncer, existem muitos aspectos favoráveis ao uso da água alcalina para complementar diversos tratamentos. Um sistema alcalino é rico em oxigênio, substância essencial para a vida.
Dr. Otto Warburg, médico ganhador de dois prêmios Nobel, demonstrou que o câncer é anaeróbico, ou seja, que só se desenvolve na ausência de oxigênio. Demonstrou que ele tem dificuldades em se desenvolver em ambiente com pH alcalino, repleto de oxigênio. Warburg explica que a carência de oxigênio impede de completar adequadamente o processo de metabolismo celular, impossibilitando a criação de células saudáveis.
Com essas condições, o sistema imune se desestrutura, comprometendo a capacidade do corpo reagir aos ataques das células anormais. Se a carência de oxigênio permanecer crônica, o sistema imune vai se esgotando mais, favorecendo o surgimento de enfermidades, modificando o pH corporal que se torna mais ácido.
A acidez agrava mais ainda a deficiência de oxigênio. Logo, a água alcalina permite manter um nível rico em oxigênio, dificultando o crescimento de células tumorais.
SOLUÇÃO: A solução é beber uma água alcalina ou alcalinizar a água (tornar o pH dela pelo menos maior que o pH do nosso sangue 7,4) e um dos meios mais fáceis para isso é o famoso filtro de barro, já abordado no item anterior. Diversos vídeos na internet mostram pessoas que fizeram o teste da água fornecida pela cidade, chegando com pH 6, e após filtragem no filtro de barro, o pH subiu para mais de 8. O blogueiro que vos fala, testei aqui em casa, fiz questão de comprar um medidor digital de pH e um filtro de barro com as velas mencionadas no item anterior (de tripla filtragem por ser mais eficientes) e o pH da água fornecida pela minha cidade foi de 7 para 8,5 após a filtragem. Fiz um outro teste utilizando uma água do poço artesiano da minha chácara, que por minha sorte, já sai alcalina por natureza, retirei com pH 8,6 e após passar pelo filtro de barro, o pH subiu para 9,1. Obs. A “Organização mundial de saúde” recomenda que o pH da água seja no máximo 9,5.


Podemos potencializar este processo para tornar a água com maior quantidade de sais para auxiliar o aumento do pH e enriquecer a água, proporcionando uma maior condutibilidade. Existe difundido na internet, inclusive explicado pelo terapeuta “sem papas na língua” Ivandelio Sanctus, explicando sobre a “Água dos milagres”, para uso contínuo. Basta adicionar num copo de água ♦ 1 colherzinha rasa de sobremesa de Flor do Sal ou Sal rosa do Himalaia ou Sal marinho integral, ♦ 1 colherzinha rasa de sobremesa de Cloreto de Magnésio PA (puro – PA=para análise) e ♦ 1 colherzinha rasa de sobremesa de Bicarbonato de Sódio PA, na água, antes de colocar para filtrar; após mexer e colocar esta mistura na parte superior do filtro cheio de água (exemplo: um filtro de 8 litros, terá 4 litros na parte superior e 4 litros após filtrado), então após a filtragem, haverá 4 litros de água filtrada com a mistura dos sais. Você perceberá que a quantidade de sais é tão pouca que nem irá alterar o gosto da água, e se achar que deu gosto, reduz um pouco a mais a quantidade dos 3 itens.


Investimento: Em relação ao filtro e vela de tripla filtragem, o mesmo gasto já abordado no item anterior (aproximadamente de R$100 a R$150 reais para comprar um filtro e trocar de 3 a 6 meses a vela do filtro (a vela custa em média R$15 reais). Agora para potencializar ainda mais a água, sugerimos nesse item a adição na água, de Cloreto de Magnésio, Bicarbonato de Sódio e um desses sais (Sal Rosa do Himalaia ou Flor do Sal ou Sal marinho integral – sendo este último o mais barato). Bicarbonato de Sódio e Cloreto de magnésio você  encontra em quase todas farmácias, porém se sentir melhoras e continuar a fazer continuadamente, sai mais em conta comprar maiores quantidades [exemplo]. Os sais sugeridos é possível comprá-lo em lojas de produtos naturais, em pouquíssimos mercados e também na internet.
Encontrei este vídeo no youtube de uma pessoa que mediu o pH da água da torneira e após a filtragem num filtro de barro. De fato é verídico, eu também fiz os testes e o pH da água fornecida pela minha cidade foi de 7 para 8,5 após a filtragem.
4 E 5-Tensão Superficial Da Água – Capacidade De Ser Oxidante Ou Antioxidante
Tensão superficial da água
A água deve ter Baixa Tensão Superficial, quanto menor a tensão superficial melhor. Por ressonância nuclear magnética é possível determinar a ligação da água. Na forma hexagonal ela é boa, ideal, 6 partículas. Cluster com 11 moléculas tem uma tensão superficial muito grande e não hidrata adequadamente. Água Alcalina Ionizada tem uma menor tensão superficial e, consequentemente, é mais hidratante.
A água corrente quando pára, ao fim de 8 horas, começa a formar Clusters maiores aproximando os pequenos Clusters naturais (entre as 10 e as 18 moléculas em média) entre si criando gigantescos aglomerados.
A água que brota da terra está “magnetizada”, e tem uma orientação no espaço de acordo com o campo magnético terrestre, que igualmente cria uma vibração e geometria distinta nos clusters. Em media ao fim de 2 dias, mais tardar três, o fenômeno dos Mega Clusters ocorre, deixando com alta tensão superficial, não hidratando os pequenos capilares do corpo.
Os Clusters biológicos, aqueles que intervém diretamente nas reações químicas e transportam as moléculas, são caracterizados por clusters de menores dimensões entre as 8 e as 6 moléculas de água.
Capacidade de ser oxidante ou antioxidante
Redox – Redox é o poder de oxirredução da água. A água pode ser oxidante ou antioxidante. Se tirar um elétron de uma estrutura ela passa a procurar outro elétron e passa a ser oxidante. Por outro lado se eu tiver uma substância que doa elétrons ela é antioxidante.
Existe um aparelho que mede em mV a água. Uma água para ser antioxidante tem que ter um ORP, um Redox negativo. Raramente encontra-se isto a menos que a pessoa vá na montanha, na nascente, onde não tem contaminação.
ORP – (negativo): antioxidante. Água Alcalina Ionizada.
ORP + (positivo) oxidante: águas purificadas, água destilada, água desonizada, filtragem por osmose reversa são altamente oxidantes.
Os radicais livres são os responsáveis pela deterioração do nosso organismo e causador do envelhecimento, os vilões combatidos pela medicina. Agora, imagine se você tiver outra estrutura que ao invés de roubar elétrons, ela doa elétrons para os radicais livres, ela é antioxidante. A água antioxidante doa elétrons e a água oxidante rouba elétrons. envelhecimento. A água antioxidante tem o redox negativo e quanto mais negativo, melhor, e a água oxidante tem o redox positivo. Para quem quiser se aprofundar mais no assunto é possível ler sobre Radicais Livre e Estresse Oxidativo.
Apenas ímanes muito potentes a partir dos 3500 Gauss conseguem ionizar a água (H2O), isto é, alterar a molécula em si levando-a a separar-se, em alguma pequena quantidade, nos seus iões constituintes (H+ e OH-) em maior proporção do que naturalmente acontece. Esta Ionização é benéfica porque comporta-se como um antioxidante reagindo no organismo com as moléculas que vão oxidando (enferrujando), e envelhecendo o corpo.
Solução: Uma possível solução para abaixar a tensão superficial da água e deixá-la, se assim podemos dizer, mais antioxidante, é realizar a magnetização da água. Porém aí algum físico irá se contorcer, que a água não pode ser magnetizada, de fato não. Porém popularizou esse nome devido a utilização de um ímã super potente (a partir dos 3500 Gauss de potência) que consegue separar (quebrar), algumas moléculas da água, nos seus íons constituintes (H+ e OH-). A Hidroxila(OH-) reage com os minerais encontrados. Isto faz com suas moléculas se realinhem de tal forma que há formação de aglomerados de H⁺(Forma ionizada no meio aquoso) e a formação de hidróxidos Alcalinos Mg(OH)₂, Ca(OH)₂). Ao ingerirmos a água super “magnetizada”, os íons de H+ reagem com o radical livre que são átomos isolados de oxigênio[O-], formando H₂O. Aqui ocorre dois fatos importantes: Reduz os radicais livre do nosso organismo, e ainda aumenta a formação de novas substancias alcalinas (auxilia no aumento do pH). Esta é uma realidade mas a água magnetizada possui um conjunto de propriedades distintas: tem um peso mais leve (considerando que a água é o único líquido que não se contrai ao arrefecer e se expande quando congelado), e uma concentração maior de íons de hidrogênio como se ocorresse uma Ionização em pequena escala.  Esta Ionização é benéfica porque comporta-se como um antioxidante reagindo no organismo com as moléculas que vão oxidando (enferrujando), e envelhecendo o corpo. Ela hidrata mais, pois devido os clusters estarem menores, ela alcança pequenos capilares. Segundo inúmeras fontes, a água magnetizada ajuda a limpar o organismo, estabiliza o fluxo intestinal, eliminação das toxinas, favorece o bom funcionamento dos sistemas que compõem o corpo humano incluindo o sistema imunitário, reduz o colesterol, ajuda na regeneração dos tecidos como feridas ou queimaduras e é excelente para a limpeza e hidratação da pele (aplicações cosméticas). Existem inúmeros vídeos de depoimentos no youtube de pessoas que se curaram de suas doenças utilizando a água “magnetizada”. Imãs potentes com durabilidade de seu potencial magnético por anos, não costuma ser muito barato. Existem opções pesquisando na internet, de imãs com potência maior que 3500 gauss, que é o mínimo necessário para ocorrer hidrólise de pequenas quantidades de moléculas de água. Com este bastão, que em meus testes (o bastão ficou imerso horizontalmente no fundo de uma jarra de 2 litros durante 30 minutos), conseguiu elevar o pH da água em 2 décimos, parece pouco né? Mas não é, já que o pH é uma escala logarítmica e isto representa uma grande quantidade de moléculas e a possível quebra de grandes clusters em cluster menores.
Veja este vídeo do Dr. Lair Ribeiro que brilhantemente explica sobre estes 5 itens que abordamos:
Dr Márcio Bontempo fala sobre Água Magnetizada
Obs.: Não estamos fazendo propaganda do produto que o Dr. Márcio Bontempo apoia no vídeo, pois é caríssimo (em torno de 500 reais, existem outras opções como citado na solução acima), apenas focando em sua fala elucidativa a respeito da “magnetização” da água.
Referências:


Leia mais: http://www.noticiasnaturais.com

Maneiras de tornar as frutas e legumes mais seguras para comer

Hoje, mais de 65% das amostras das produções analisadas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos dão positivo nos exames para os resíduos de pesticidas. Isso significa que, a menos que você só compre frutas e legumes orgânicos certificados, você está provavelmente consumindo uma série de produtos químicos diariamente.
Para informar o público sobre esses perigos, e educá-los sobre como se manter saudável, o Environmental Working Group (EWG) publica um relatório anual das mais sujas e limpas, frutas e verduras que você pode comprar. Sua pior lista é chamada de “Os 12 Mais Sujos”, e estes são os 12 itens que você deve se certificar de que comprar orgânicos. Nota: o EWG faz este trabalho apenas para os EUA. Como sabemos que o Brasil é um dos campeões no uso de agrotóxicos podemos esperar que a situação aqui é ainda mais grave, o que faz este post ser ainda mais relevante.
No entanto, não importa seja quais sejam as frutas e legumes que você compre, você deve certificar-se de lavá-los antes de comer.
Maneiras de tornar as frutas e legumes seguras para comer
Existem algumas maneiras fáceis de purificar seu produto e torná-lo mais seguro para comer. Ambos os métodos são baratos também. Você não tem que comprar qualquer produto caro que você pode ter visto em uma loja. Você pode purificar seus vegetais e frutas com itens simples que provavelmente já estão em sua cozinha.
Vinagre branco
A primeira opção é usar vinagre branco. Você pode comprar vinagre branco destilado muito barato em sua mercearia ou em grandes lojas. Basta criar uma mistura de água e vinagre branco, e em seguida, mergulhe o seu produto nela. A mistura será de 90% de água e 10% de vinagre branco. Mergulhe as frutas e legumes por cerca de 15 minutos e depois enxágue.
Você vai notar que a bacia de água tem muita sujeira e resíduo deixado na mesma. Isso é bom para quase todas as frutas, porém, visto que as bagas têm pele mais porosa, elas podem ganhar um gosto de vinagre, por isso não utilize este método para elas. Em vez disso, você pode usar suco de limão no lugar do vinagre.
Água salgada
A segunda opção é igualmente simples: água salgada. Combine 98% de água e 2% de sal. Mergulhe novamente por cerca de 15 minutos. Esta lavagem irá remover a maior parte dos resíduos de pesticidas da superfície de suas frutas e legumes.
Sempre seja cuidadoso quando lavar seu produto, mesmo que seja orgânico. Lavar, quando você é diligente sobre isso, normalmente remove cerca de 80% dos agrotóxicos de seu alimento.
Lave cuidadosamente, em água fria, para proteger a saúde da sua família.

Transformando Alimentos Contaminados em Orgânicos

Você sabia disso, que isso é possível? Pois bem, vejamos como.
Compre na farmácia Tintura de Iodo à 2% e proceda da seguinte forma. Para cada litro de água misture aproximadamente 5ml da solução. Depois coloque dentro dessa água os legumes que deseja descontaminar.
Deixe em local protegido da Luz por aproximadamente 1 hora. Feito isso basta enxaguar e está pronto, alimentos com jeito de Orgânicos, livre de qualquer tipo de contaminação.
Conclusão:
E para simplificar sua vida, prefira sempre alimentos Orgânicos de procedência conhecida e confiável.
Os doze infratores na lista atual dos  ‘Os 12 Mais Sujos’ da EWG  são: 
1. Maçã
2. Morango
3. Uva
4. Aipo
5. Pêssego
6. Espinafre
7. Pimentão doce
8. Nectarina (importadas)
9. Pepino
10. Tomate cereja
11. Ervilha (importadas)
12. Batata
E as frutas e legumes com o mínimo de pesticidas são:
1. Abacate
2. Milho doce
3. Abacaxi
4. Repolho
5. Ervilha doce (congelada)
6. Cebola
7. Aspargo
8. Manga
10. Kiwi
11. Berinjela
12. Toranja
13. Cantalupo
14. Couve-flor
15. Batata doce

Leia mais: http://www.noticiasnaturais.com

Saiba das Diferenças entre a Chlorella e a Spirulina


[Imagem: diferencas_clorella_spirullina_.jpg]


Você saberia responder quais as diferenças entre a Chlorella e a Spirulina?

Ambos são muito populares, ambos são parecidos e tem sabor semelhante. Então, não é nenhuma surpresa que muitas pessoas perguntam quais são as principais diferenças entre a chlorella e a spirulina, especialmente por pessoas que desejam saber qual destes dois superalimentos irá beneficiá-los mais. Então, vamos começar .....

A Chlorella é uma alga unicelular que é rica em proteínas, vitaminas (incluindo a vitamina B12), minerais (especialmente ferro), aminoácidos e ácidos nucléicos. As algas Chlorella possuem um elevado teor de clorofila o que ajuda a limpar o sangue e tecidos, tornando-a particularmente útil para a desintoxicação.

Chlorella também contém uma concentração extremamente forte de PPAR (receptores ativados por proliferador de peroxissoma) alfa, beta e gama, que são conhecidos por regular o nosso metabolismo, fortalecer nosso sistema imunológico e promover a boa saúde de forma geral.

Spirulina é uma cianobactéria – bactéria capaz de fazer fotossíntese, como as plantas - carregada com fibras, proteínas, vitaminas, incluindo vitaminas (incluindo A, B1, B2, B6 e K), minerais essenciais (incluindo ferro, cálcio e magnésio), vestígios de minerais, ácidos graxos essenciais, ácidos nucleicos (RNA e DNA), polissacáridos e antioxidantes.

Spirulina é baixa em calorias e é uma fonte completa de proteínas. Foi recentemente ligada à perda de peso.

Como a chlorella, a spirulina também está disponível em comprimido e em pó.

As principais diferenças entre Chlorella e Spirulina

A Chlorella é uma alga unicelular e a spirulina é uma cionobactéria. Graças às suas incríveis densidades de nutrientes, elas podem oferecer uma ampla gama de benefícios à saúde quando incorporados à sua dieta diária. Para ajudá-lo a decidir qual dos dois superverdes é o melhor para você, nós identificamos as seguintes diferenças fundamentais:
Chlorella é uma alga verde, o que significa que normalmente possui cerca de dez vezes mais clorofila do que a spirulina e faz com que seja mais adequada para fins de desintoxicação
Chlorella contém mais ferro do que spirulina
Chlorella contém um fator de crescimento especial que pode ajudar a reparar danos ao tecido nervoso e é ideal para aqueles com distúrbios cerebrais e nervosas degenerativas
Chlorella apresenta um verdadeiro núcleo, ao contrário espirulina
Spirulina contém mais proteína do que chlorella. Na verdade, em média a spirulina contém 12 vezes mais proteína do que a carne!
Spirulina é a melhor fonte de GLA (ácido gama-linoléico), uma "boa" gordura que é essencial para um cérebro e função cardíaca saudáveis.
Spirulina contém uma substância chamada fenilalanina, que estimula a saciedade.
Spirulina contém altas concentrações de ficocianina, um fitoquímico que pode ajudar a prevenir o câncer e dá spirulina sua tonalidade azul especial

O uso transdérmico do cloreto de magnésio

A pele é na verdade um órgão incrivelmente complexo e, por peso, é o maior de nosso corpo. Ela cobre em média, algo como 4 metros quadrados e pesa cerca de 4 quilos (perto de 7% do peso do corpo). A pele está envolvida numa troca dinâmica entre os ambientes interno e externo através da respiração, absorção e eliminação. É altamente permeável, embora tenha a habilidade de manter sua importante barreira antibacteriana com o ambiente.
O uso transdérmico do cloreto de magnésio tem diversas vantagens em relação ao seu uso oral: ele permite que altos níveis de magnésio cheguem diretamente ao nível celular sem atravessar o sistema digestivo, evita impacto no intestino, fígado e rins. O nível de absorção é maior do que na forma oral, pois nesta ultima se tem muita perda através das fezes. De acordo com o Dr. Normam Shealey, Ph.D., a suplementação com magnésio oral leva entre 6 e 12 meses para restaurar os níveis intracelulares, enquanto a aplicação transdérmica de uma loção de cloreto de magnésio a 25% promove tal restauração em 4 a 6 semanas. Além disso, quando utilizado pela pele o cloreto de magnésio reage com a gordura corporal aumentando naturalmente os níveis de DHEA, o chamado “hormônio mestre”, cujos níveis baixos estão associados ao processo de envelhecimento.
* Benefícios da terapia transdérmica de magnésio:
* Alivia dores musculares na coluna, bursites, tendinites;
* Previne e trata artrites e osteoporose, pois faz com que o cálcio se deposite no local correto;
* Ajuda nos casos de depressão pois aumenta a energia vital;
* Atua beneficamente sobre o sistema nervoso;
* Melhora o sistema imunológico e combate radicais livres;
* Auxilia no tratamento de cálculos renais;
* Traz mais disposição e vitalidade para o dia-a-dia.
Contra indicação: Pacientes com deficiências renais devem usar o cloreto de magnésio com acompanhamento médico.
Magnésio não é nada menos que um mineral milagroso no seu efeito sobre a cicatrização de uma vasta gama de doenças, bem como na sua capacidade de rejuvenescer e evitar o envelhecimento do corpo.
Sabemos que é fundamental para muitas reações enzimáticas, em especial no que diz respeito às celulares de produção de energia, para a saúde do cérebro e o sistema nervoso, e também para os dentes e ossos saudáveis. No entanto, pode constituir uma surpresa que, sob a forma de cloreto o magnésio também é um impressionante lutador contra infecção.
O primeiro proeminente pesquisador a investigar e a promover os efeitos antibióticos do magnésio foi um cirurgião francês, Professor Pierre Delbet MD. Em 1915 ele foi à procura de uma solução para limpar feridas dos soldados, porque ele descobriu que os anti-sépticos tradicionalmente utilizados nos tecidos danificados incentivavam as infecções em vez de as prevenir. Em todos os seus testes a solução de cloreto de magnésio foi de longe a melhor. Não somente ele era inofensivo para os tecidos, mas também aumentava enormemente a atividade dos leucócitos e a fagocitose, a destruição de micróbios.
Mais tarde o Prof. Delbet também realizou experimentos com aplicações internas de cloreto de magnésio e descobriu ser um poderoso imuno-estimulante. Em suas experiências a fagocitose aumentou em até 333%. Isto significa que após ingestão do cloreto de magnésio o mesmo número de glóbulos brancos destruía até três vezes mais micróbios do que antes.
Gradualmente o Prof. Delbet descobriu que o cloreto de magnésio era benéfico para uma ampla gama de doenças. Estes incluíram doenças do aparelho digestivo, tais como colite e problemas na vesícula, mal de Parkinson, tremores e cãibras musculares, acne, eczema, psoríase, verrugas e prurido cutâneo, impotência, hipertrofia prostática, cerebral e problemas circulatórios, asma, febre, urticária e reações anafiláticas. Cabelo e unhas ficaram mais fortes e saudáveis e doentes tinham mais energia.
Prof. Delbet também descobriu um efeito preventivo muito bom sobre o câncer e em condições pré-cancerosas, tais como leucoplasia, hiperqueratose e mastite crônica. Estudos epidemiológicos confirmou que as regiões ricas em magnésio no solo tinham menos câncer do que aqueles com baixos níveis magnésio.
Outro médico francês, A. Neveu, curou vários doentes com difteria utilizando o Cloreto de Magnésio em dois dias. Ele também publicou 15 casos de poliomielite que foram curados dentro de dias se o tratamento foi iniciado imediatamente, ou dentro de meses se paralisia já tivesse progredido. Neveu também descobriu que o cloreto de magnésio era eficaz com asma, bronquite, pneumonia e enfisema; faringite, amidalite, rouquidão, frio comum, gripe, coqueluche, sarampo, rubéola, caxumba, escarlatina; envenenamento, gastrenterite, furúnculos, abscessos, feridas infectadas e osteomielite.
Em anos mais recentes o Dr. Vergini e outros já confirmaram estes resultados já publicados anteriormente e têm mais doenças adicionadas à lista de utilizações bem sucedidas: asma aguda, choque, tétano, herpes zoster, conjuntivite aguda e crônica, neurite óptica, as doenças reumáticas, muitas doenças alérgicas, Síndrome de cansaço crônico e efeitos benéficos no tratamento do câncer. Em todos estes casos, o cloreto de magnésio tinha sido utilizado e deram resultados muito melhores do que outros compostos magnésio.

Magnésio para os Nervos

O Magnésio tem um efeito calmante sobre o sistema nervoso. Com isto, é frequentemente utilizado para promover o bom sono. Mas mais importante que pode ser usado para acalmar nervos irritados. É especialmente útil, em crises epilépticas, convulsão em mulheres grávidas e no alcoolismo. Os níveis de Magnésio são geralmente baixos nos alcoólatras, contribuindo ou causando muitos dos seus problemas de saúde. Se os níveis de Magnésio são baixos, os nervos perdem o controle sobre a atividade muscular, respiração e processos mentais. Fadiga Nervosa, tiques e cãibras, tremores, irritabilidade, hipersensibilidade, espasmos musculares, agitação, ansiedade, confusão, desorientação e batimento cardíaco irregular respondem em todos os níveis com o aumento do magnésio. Um fenômeno comum na deficiência do magnésio é uma reação muscular inesperada e um forte barulho. Pílulas de Memória que têm sido comercializadas consistem principalmente de magnésio.
Muitos dos sintomas da doença de Parkinson podem ser superadas com alta suplementação de magnésio, agitação pode ser prevenida e rigidez flexibilizada. Mulheres grávidas podem desenvolver convulsões, náuseas, tonturas e dores de cabeça. Nos hospitais isto é tratado com infusões de magnésio. Por causa de seu forte efeito relaxante, magnésio contribui não só para ter um sono melhor, mas também é útil no tratamento de dores de cabeça e enxaquecas. Quanto mais baixo for o teor de magnésio do solo e da água em uma determinada região, maiores são as taxas de suicídios.
A epilepsia é marcada por níveis anormalmente baixos magnésio no sangue, fluido espinhal e cérebro, causando hiper-excitabilidade em regiões do cérebro. Há muitos casos de epilepsia que melhoram significativamente ou desaparecem com suplementação de magnésio. Em uma pesquisa com 30 epilépticos, 450 mg de magnésio oferecidos diariamente, controlou com sucesso as convulsões. Outro estudo constatou que os níveis baixos de magnésio no sangue mais grave era à epilepsia. Na maioria dos casos, o magnésio funciona melhor em combinação com vitamina B6 e Zinco. Em concentrações suficientes, o magnésio inibe convulsões, limitando ou retardando a propagação da descarga elétrica de um grupo isolado de células cerebrais para o resto do cérebro. Os estudos realizados mostram que mesmo a primeira explosão das células nervosas que inicia um ataque epiléptico pode ser reprimida com magnésio.


Leia mais: http://www.noticiasnaturais.com