segunda-feira, 23 de setembro de 2013

o prānāyāma de retenção

O sūryabheda kūṁbhaka prāṇāyāma significa literalmente o prānāyāma de retenção que perfura o Sol ou, mais explicitamente, que perfura ou purifica a nāḍī solar, piṅgalā.
Descrevo a seguir uma forma simples da técnica:

a) Colocar as mãos em jñāna mudrā;
b) obstruir a narina esquerda (lunar) utilizando o dedo médio da mão direita, preferencialmente logo acima da narina, bloqueando a passagem do ar;
c) inspirar (pūraka) pela narina direita (solar);
d) reter o alento, executar jalāndhara bandha e deglutir a saliva;
f) desfazer o jalāṇḍhara bandha e expirar (recaka) pela narina esquerda;
g) repetir a seqüência, inspirando sempre pela narina solar e expirando sempre pela narina lunar.

Depois de dominar bem esta seqüência, pode-se, mesmo no fim ou durante todo o kūṁbhaka (retenção com ar), executar uḍḍiyana bandha e mūla bandha e depois expirar. Ou seja, executar o bandhatraya (jalāṇḍhara, uḍḍiyana bandha e mūla bandha) no final da retenção e durante a expiração. Como em outros prānāyāmas, pode ser acrescentado ritmo e mesmo uma combinação diferente dos bandhas.

Vejamos, agora, a descrição da Haṭha-Yoga-Pradīpikā:
Para fazer este kūṁbhaka, o yogi deve sentar-se em um āsana adequado, em um assento confortável, e inalar lentamente pela fossa nasal direita (piṅgalā). Na seqüência, deve praticar kūṁbhaka até sentir o prāṇa penetrar em todo o seu corpo, desde a ponta dos cabelos até as unhas dos pés; então deve exalar lentamente através da fossa nasal esquerda (īdā). (II, 48-49)

Trecho da série de artigos O prāṇāyāma na escrituras Clássicas - Sūryabhedana, edição 12 Primavera 2006
Curtir · 

Nenhum comentário:

Postar um comentário